Canção de Ninar

Madrugada chuvosa, o casal dormia pesado. Desde a chegada do filho que não sabiam bem o que era uma boa noite de sono… ou de sexo. O rádio-relógio marcava três e quinze da manhã quando ouviram um choro vindo do quarto do bebê. A mãe agarrou-se ao travesseiro e fingiu chorar ela também de desespero. O pai entendeu o recado. Levantou-se. Lá estava o bebê: olhos abertos, um chorinho manhoso:

– Canta?

Cantar… E agora? A mãe que era boa nessas coisas. Mas depois da discussão do dia anterior prometera ser mais presente. Puxou pela memória:

Bicho-papão sai de cima do telhado
Deixa o menino dormir sossegado

O filho olhou assustado. Bicho-papão não parecia algo bom. O pai pôs os neurônios para recuperarem outra.

Nana nenê
Que a cuca vem pegar
Papai foi pra roça
Mamãe foi trabalhar

Nessa, foi o pai que assustou. O nenê está sozinho e ainda vem a cuca pegá-lo? Deu razão para o filho quando voltou a chorar. “Calma, calma. Outra!”, disse.

Sambalelê tá doente
Tá com a cabeça quebrada
Sambalelê precisava
É de umas boas palmadas

Nessa o filho gritou. Nem tanto pela cabeça quebrada, pois não entendeu direito. Mas as ‘boas palmadas’ assustaram de verdade. “Meu Deus, quem inventou essas músicas? Ah, tem mais uma!”.

Boi boi boi
Boi da cara preta
Pega esse menino
Que tem medo de careta

O choro aumentou. Do outro quarto a mãe já perguntava se estava tudo bem. “Tudo bem! Estou cantando e ele já vai dormir!”, mentiu. Imaginou um boi de cara preta entrando no quarto fazendo careta. Teve um calafrio.

A canoa virou
pois deixaram ela virar
foi por causa do menino
que não soube remar

Atirei o pau no gato-to
Mas o gato-to não morreu-reu-reu

Marcha soldado
Cabeça de papel
Se não marchar direito
Vai preso no quartel

O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada

O pai não acreditava no que cantava. Não lhe vinha à mente uma única canção que não fosse trágica. A mãe já estava parada na porta com olhar de reprovação. O menino engasgava com o choro.

O pai agachou-se no chão próximo ao filho, pôs a mão no seu rosto e disse em tom melodioso:

Dorme, meu filho
Não há o que temer
Papai e mamãe te amam
Nada vai te acontecer

Era o que precisava ouvir. Silenciou e fechou os olhos aliviado. O pai pegou a mãe pela mão e foram para a cama, triunfantes.

Anúncios

22, janeiro, 2008 at 9:00 am Deixe um comentário

O banco da sua vida no celular

O Banco Real lançou no final do ano o Real Celular Banking, uma solução de acesso a contarcb.jpg corrente através do aparelho celular. Diferentemente de outras iniciativas já tentadas no passado por vários bancos, não se trata de um site Wap e sim de um aplicativo residente no aparelho. Segundo Sandro Pucci, Coordenador das iniciativas de Mobile do banco, as vantagens são inúmeras. Primeiro, o custo para o cliente. Como as telas estão no aplicativo, só se paga pelo tráfego das informações. Além disso, a usabilidade é melhor, sendo mais fácil acessar e usar a ferramenta. Rafael Taqueda, também envolvido no projeto, a segurança é igual ou até maior do que o internet banking. Um dos desafios é garantir a compatibilidade com os diversos aparelhos e operadoras existentes no Brasil. Para isso, o banco contratou Mario Miguel, ex-Claro, que avaliou as diferentes tecnologias e desenhou a melhor forma de disponibilizar o aplicativo em cada aparelho. “O mercado é muito pulverizado. Foi uma vitória conseguir cobrir cerca de 40% da base de celulares do Brasil, treinar a equipe de suporte e montar conteúdo de apoio ao cliente, tudo no prazo exíguo que tínhamos”, diz Mario.

Agora que eu não vou na agência mesmo!

7, janeiro, 2008 at 5:15 pm 1 comentário

e-lixo: o que fazer com os computadores velhos

Hoje em dia, nossos computadores duram cada vez menos. Novos softwares exigem mais hardware e, quando o upgrade não resolve acabamos por trocar o micro por um novo. Segundo a Intel, em reportagem no IDGNow!, este ano serão vendidos 9,3 milhões de computadores no Brasil, um crescimento de quase 40% em relação a 2006.

Esse movimento gera uma quantidade enorme de computadores usados que às vezes consegue-se vender ou doar mas, em muitos casos, acaba no lixo. O problema é que esse tipo de resíduo, que já começa a ser chamado de e-lixo, é rico em metais pesados e outras substâncias nocivas. Para se ter uma idéia dessa relação, estima-se que nos EUA, o e-lixo representa 2% de todo o lixo gerado e 70% do lixo tóxico.

Para amenizar esse problema, em muitos países a responsabilidade pela reciclagem desses materiais é atribuída aos fabricantes. Por aqui, apenas pilhas e baterias possuem uma legislação que regulamente o seu descarte. Apesar disso, algumas empresas, como IBM e Dell criaram programas para retirar computadores usados e promover a sua reciclagem. São ainda iniciativas tímidas. Se você comprar um computador da Dell lá fora, no final do formulário existe uma opção “retirar meu computador usado”.

Bom, mas e você que tem um computador encostado, que talvez não seja Dell ou IBM e não sabe o que fazer com ele? Provavelmente não quer vê-lo indo parar em um lixão. A saída é o Cempre, Compromisso Empresarial para Reciclagem. O Cempre é uma iniciativa de diversas empresas como Alcoa, Coca-Cola, Carrefour, Sadia, Unilever etc. para promover a reciclagem. Além de ensinar as cores e símbolos ligados à reciclagem, faz treinamentos de conscientização, disponibiliza manuais e cartilhas para crianças, informa preços de materiais reciclados e disponibiliza informações detalhadas sobre a reciclagem de vários tipos de resíduos. Ah… e divulga a lista das cooperativas que reciclam equipamentos eletroeletrônicos.

Então, antes de colocar seu computador velho em um saco preto na porta de casa, acesse o site do Cempre e encontre a cooperativa mais próxima. O planeta agradece.

12, novembro, 2007 at 10:43 am 1 comentário

Flock, o browser da Web 2.0

flock.jpgFoi lançado o Flock, o ‘browser das redes sociais’.  Disponível para Windows, Linux e Mac, o Flock possui interface com os principais sites 2.0. Você pode logar no Youtube, Flickr, Facebook, etc., e ficar sabendo quando seus amigos entram, postam fotos e vídeos. Além disso, você pode arrastar e soltar conteúdo de um site para outro, postar conteúdo diretamente no seu blog, receber RSS. Pelo menos isso é o que o site conta. Acabei de instalar o browser e posto aqui algumas das minhas opiniões.

1. O browser é lento. Pode ser impressão, falta de cache (afinal acabei de instalar) mas a sensação é que demora mais para carregar uma página do que em outros browsers.

2. Aparentemente, por trás está rodando o Firefox. Vou procurar saber mais. Se alguém tiver informação, eu agradeço.

3. Para quem tem blog, basta cadastrá-lo (aceita blogger, WordPress e outros) e postar diretamente. Tem uma interface bonitinha, sem precisar acessar o site. Ao clicar em ‘publish’, ele pergunta em qual blog você quer postar, quais as tags a serem associadas e pronto. Parece bom.

4. Além de possuir um sidebar com os RSS cadastrados, ao entrar em um site que possua RSS, um ícone laranja ‘se acende’ e você pode prever o conteúdo que o site provê.

5. Ao lado da barra de endereços tem um botão que permite mandar o endereço por email. Mas é apenas o conhecido ‘mailto:’. Queria poder mandar do meu Gmail. Aliás, senti falta de acessar meu Gmail diretamente.

6. Os brasileiros vão sentir falta de uma conexão com o Orkut.

7. Dá para arrastar fotos do computador para sites como o Flickr e vice-versa. Ainda estou aprendendo, mas já consegui fazer um upload direto para o Flickr e navegar no media bar, vendo as minhas fotos online. Daí é só selecionar uma imagem, escolher ‘share’ e mandar direto pro blog. Gostei!

Vou continuar explorando um pouco mais o Flock. Se tiver grandes novidades, volto aqui para contar. De qualquer forma, ninguém pode negar que foi uma bela sacada. Vamos ver se cai nas graças do povo e o software se mantem.

5, novembro, 2007 at 7:34 pm 1 comentário

Rede Social Genealógica

Vi ontem no IDGNow! e fui lá conferir. O site GeneTree foi criado para aproveitar a onda das redes sociais. O mote é encontrar familiares distantes, montar sua árvore genealógica e, hummm…, compartilhar fotos e vídeos, que ninguém é de ferro. O destaque para mim é: o site não pretende ganhar dinheiro vendendo links e banners. O site vende testes de DNA! Isso! Se você pagar US$99 ou US$149 (dependendo da complexidade do teste) você faz o teste e pode procurar pessoas que talvez sejam familiares seus que você desconhece. Achei ousado. E achei criativo. Adoro cases onde o mundo ‘físico’ encontra seu espaço no ‘virtual’.  O GeneTree era um site de exames de paternidade, que se diz o primeiro site a oferecer testes de paternidade online. O Ele se fundiu com o Identigene e a empresa resultante é quem criou o novo site. Vamos acompanhar.

25, outubro, 2007 at 10:14 am 1 comentário

Camiseta detecta sinal Wifi

Que tal uma camiseta que detecta o sinal de uma rede sem fio e mostra sua intensidade? Por apenas US$29,90 ela pode ser sua. Dá para lavar na máquina; só precisa tirar as pilhas e adesivos antes de lavar. Nerd que é nerd não pode ficar sem uma.

Para comprar, clique aqui.

8, outubro, 2007 at 7:05 pm 2 comentários

Desbloqueie seu iPhone via software

 Pronto. Saiu uma solução simples, sem ter que ser um hacker ou PhD em eletrônica para desbloquear o iPhone. O software iPhone SIM Free, desbloqueia o aparelhinho sem grandes complicações. Aquele amigo meu que veio dos EUA fez isso ontem e hoje eu presenciei uma ligação feita pelo iPhone dele. Tudo funcionando… Mapas, Youtube, internet, telefone. O software custa US$100.

17, setembro, 2007 at 10:24 am Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Cadê o texto que eu vi aquele dia?

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Alguns links....

RSS Um pouco de tudo

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Feeds

Blog Stats

  • 36,712 hits